Doença de Parkinson

James Parkinson nasceu em 1755 e morreu em 1824 em Londres. Era médico, geólogo, paleontólogo e activista político inglês. Em 1817, ele descobriu a doença conhecida como “paralisia agitada”. Jean Martin Charcot, um eminente neurologista do século XIX, chamou-lhe “doença de Parkinson”.

Os efeitos do óleo de CDB na doença de Parkinson

Existem actualmente cerca de 10 milhões de pessoas no mundo que sofrem desta doença, incluindo 15.000 na Suíça. Na maioria dos casos, aparece em pessoas com mais de 60 anos de idade. Mas raras excepções têm demonstrado a possibilidade de contrair esta doença precocemente. 5-10% das pessoas diagnosticadas têm menos de 40 anos e 20% têm menos de 50 anos. É de notar que esta condição afecta mais homens do que mulheres. É a segunda doença neurodegenerativa mais comum após o Alzheimer e a segunda causa mais comum de incapacidade motora após o AVC. A qualidade de vida do paciente diminui ano após ano, a sua autonomia diminui e a sua dor é omnipresente. Mas é comum ver o doente à procura de soluções paramédicas para melhorar o seu conforto.

Estudos científicos têm demonstrado a eficácia da doença CBD Parkinson em aliviar os sintomas da doença. Começaremos, portanto, por definir a doença de Parkinson e depois veremos os efeitos do canabidiol sobre o doente. Evocaremos então o testemunho da CBD Parkinson de uma mulher sobre a sua mãe que sofre da doença há 10 anos. Depois terminaremos com a apresentação de dois estudos científicos sobre o impacto da CDB na doença de Parkinson.

O que é a doença de Parkinson?

A doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa do sistema nervoso central. Os neurónios responsáveis pela produção de dopamina são gradualmente destruídos. Esta destruição provocará, portanto, perturbações motoras como a bradicinesia (abrandamento, retardamento dos movimentos). Mas também rigidez e tremores. Infelizmente, os neurónios dopaminérgicos não são os únicos a morrer. Outros neurónios são responsáveis por perturbações vegetativas (funções automáticas de digestão, circulação, respiração, …). Também aparecem problemas de sono, desequilíbrios psicológicos e dor. Os gestos automáticos são, portanto, disfuncionais. Podem ocorrer alucinações ou delírios durante a doença, que também podem ser causados pela medicação. Uma perda de expressão facial pode induzir em erro aqueles que o rodeiam sobre as suas emoções.

Sinais de advertência

Os sinais de alerta precoce podem ser observados no início da doença. La fatigue, la dépression, des douleurs dans les articulations ou la colonne vertébrale font parties des indicateurs. Mas não são suficientes para diagnosticar a doença. Micrografia (escrita pequena e apertada) e perda de balanço do braço são dois sinais importantes.

É uma doença progressiva, com os problemas de saúde do paciente a aumentar com o tempo. Não há cura para esta condição. No entanto, os tratamentos medicamentosos podem reduzir ou mesmo eliminar os sintomas. Levodopa (L-Dopa) é um precursor de dopamina utilizado medicamente para a doença de Parkinson. Outros medicamentos também complementam o tratamento. Deve notar-se que podem ocorrer efeitos secundários significativos enquanto se toma a droga. Podem ocorrer depressão, ansiedade, alucinações ou distúrbios de controlo de impulsos (jogo, compra compulsiva, etc.). A apatia (falta de iniciativa, indiferença, …) também pode ocorrer.

As causas da doença são ainda desconhecidas, mas duas hipóteses são contudo retidas: a genética e o ambiente. A exposição a longo prazo a produtos químicos (pesticidas, solventes) é um possível desencadeador ambiental para a doença. É uma condição extremamente difícil de tratar. Mas há produtos como o óleo de CDB que podem reduzir os sintomas da doença de Parkinson.

Óleo CBD e Doença de Parkinson

Neste momento, os cientistas estão a ter dificuldade em explicar como ocorrem os efeitos antiparkinsonianos da CDB. O Cannabidiol tem propriedades anti-inflamatórias e neuroprotectoras. A destruição de neurónios na doença de Parkinson causa inflamação no cérebro. A CDB protegerá, portanto, o sistema, travando a inflamação, retardando o processo neurodegenerativo.

O sistema endocanabinóide humano permite a homeostase do corpo por meio de receptores posicionados em todo o corpo. Irá regular as funções corporais. Como resultado, a CDB pode aliviar a depressão, distúrbios do sono, psicose e problemas motores. Pode, de facto, reduzir os tremores com a dosagem certa. Além disso, iria promover a produção de dopamina, uma propriedade importante no tratamento da doença de Parkinson. A dosagem de canabidiol deve ser utilizada com cautela. É importante começar com a dose mais baixa e depois ajustá-la de acordo com as necessidades do paciente. Além disso, vários estudos clínicos têm demonstrado a eficácia desta molécula.

Estudos científicos sobre o efeito do óleo de CDB na doença de Parkinson

1º estudo: Cannabidiol para o tratamento da psicose na doença de Parkinson

Diz respeito à investigação sobre os efeitos da CDB no tratamento da psicose na doença de Parkinson. São seleccionados 4 homens e 2 mulheres com a doença e perturbações psicóticas durante três meses. São, portanto, dadas doses reajustáveis de CDB (1ª dose de 150 mg/dia) durante 4 semanas. Os resultados são muito encorajadores, com uma redução significativa dos sintomas durante os ensaios clínicos. Esta é uma verdadeira esperança para a medicina e para o paciente.

Publicado em Sage Journals em Setembro de 2008 por A. W. Zuardi, J. A. S. Crippa, J. E. C. Hallak, JP. Pinto, M. H. N. Chagas, G. G. R. Rodrigues, V. Tumas (Universidade de São Paulo, Brasil) e SM. Dursun (Universidade de Alberta, Canadá).

2º estudo: Efeitos do canabidiol no tratamento de doentes com a doença de Parkinson

21 das 119 pessoas são seleccionadas para ensaios clínicos sobre os efeitos da CDB na doença de Parkinson. Estavam divididos em três grupos de 7 pessoas. Durante 6 semanas, foram tratados com placebo, 75 mg CBD/dia ou 300 mg/dia. Os cientistas notaram uma melhoria na qualidade de vida dos pacientes, bem como nas propriedades neuroprotectoras.

Publicado na revista Sage Journals em Setembro de 2014 até M. H. N. Chagas, A. W. Zuardi, V. Tumas, M. A. Pena-Pereira, E T. Sobreira, M. M . Bergamaschi, A. C. Dos Santo, J. E. C. Hallak, J. A. S. Crippa (Universidade de São Paulo, Brasil) e A. L. Teixeira (Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil).

Testemunho de Parkinson da CBD :

A filha de uma pessoa com a doença de Parkinson

A sua mãe desenvolveu a doença de Parkinson há 10 anos. O seu tratamento foi eficaz durante os primeiros anos e depois o seu estado deteriorou-se. Os medicamentos já não eram tão eficazes como tinham sido no início, e começaram a ocorrer explosões incontroláveis de raiva. A CDB tem ajudado a sua mãe a encontrar alguma serenidade e o seu pai a encontrar mais paz. Especialmente porque não encontraram quaisquer efeitos secundários. Os seus pais viram a sua qualidade de vida melhorar.

Em conclusão

A doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa que, infelizmente, ainda não tem cura na actualidade. O médico sugere tratamentos para reduzir os sintomas. A qualidade de vida deteriora-se pouco a pouco, deixando pouco espaço para a autonomia do paciente. Mas nos últimos anos, os cientistas descobriram propriedades terapêuticas da CDB em pessoas com esta condição.

Estudos têm relatado uma diminuição dos sinais motores e não motores após a administração de canabidiol. O testemunho de um membro da família de um doente de Parkinson confirma a eficácia da CDB na redução de certos sintomas. Deve notar-se que a CDB não deve substituir o tratamento inicialmente prescrito pelo neurologista. Por conseguinte, é apenas um complemento.

×

Bonjour!

Cliquez sur l'un de nos représentants ci-dessous pour discuter sur WhatsApp ou envoyez-nous un email à support@evetica.ch

× Besoin d'aide ?